Aranha Rebeca

Em minha casa, moramos eu, minha cadela e uma pequena aranha. Todo dia, vejo se Rebeca ainda está por lá. Começou a montar sua teia há uns nove meses atrás. Inicialmente eram apenas alguns fios. Hoje tem uma estrutura e tanto! Eu não a incomodo e ela não me incomoda. É o trato! Certa manhã, estava eu preparando meu Corn Flakes com leite de soja quando flagrei Rebeca na mesa de jantar. Um absurdo! Mas tive que compreender. Tenho a mania de derrubar açúcar na mesa toda vez que adoço o café. O açúcar traz formigas. E Rebeca adora formigas! Ela se escondeu atrás de um pedaço de guardanapo velho, se preparando pra dar o bote em uma das pobres presas. Pensei em intervir, como castigo por Rebeca estar na mesa de jantar. Mas eu também preciso parar de derrubar açúcar na mesa... Então deixei rolar. Foi então que uma infeliz formiguinha se aproximou do pedaço de guardanapo em busca de uma grão de açúcar que ali perto estava. Rebeca se atirou em sua presa sem pudor. Lembrei-me de meus tempos de acampamento, quando fazia isso com as meninas na floresta. Calmamente, o aracnídeo mordeu a formiga várias vezes e a levou para seu ninho. Acompanhei o trajeto inteiro degustando meu cereal. Foi uma manhã eletrizante! Desde esse dia adoço meu café próximo a teia de Rebeca.